Toda burrice será castigada

Hoje eu acordei cedo, com uma missão: trocar a lâmpada do quarto.

Já estava feliz, por ter acordado cedo, afinal, o dia ia render, bastava me livrar dessa tarefa e ia poder tocar violão, jogar alguma coisa, cozinhar, dar um rolê de bike.

Assim, me dirigi à loja de materiais de construção.

Quem me atendeu foi uma senhora de uns 70 anos, baixinha, um tanto apressada, mas simpática. Pedi duas lâmpadas iguais às que eu tinha levado. Depois, pedi pra ela descartar as antigas e voltei pra casa. Retirei as coberturas da luminária, removi os dois tubos (desses antigos, ainda fluorescentes), meio difíceis de desencaixar e coloquei as duas lâmpadas.

Apertei o interruptor. Ao invés da mágica que normalmente acontece, o que rolou foi só uma breve e murcha acendidinha de nada.

Deve ser o reator.

Aqui vale um parêntese. Eu me cago de medo de mexer em fiação e já praguejei muito contra as forças da natureza que geram eletricidade.

Mas não tem jeito, vou ter que trocar o reator eu mesmo ou chamar um eletricista. Vou perguntar, né, só ver quanto é.

150 chutes no saco.

Nem fodendo eu vou pagar 150 reais pra trocar uma lâmpada.

Tirei uma foto do reator antigo e levei lá na mesma loja. A senhorinha que tinha me atendido antes me conduziu a um cara, a quem mostrei a foto e ele me trouxe um reator de lá.

Chegando em casa, desliguei a energia da casa inteira em puro cagaço e desmontei o esquema antigo, cortando os fios. Na hora de desembalar o novo, o esquema de fiação era diferente. Entrei no modo gambiarra e resolvi tentar fazer funcionar, só que os fios eram muito pequenos. Tive que voltar na loja. Chegando lá, só tinha rolo de 10 metros do tal fio. No way.

Por acaso, um estagiário colou em mim e me disse que tinha outro tipo de reator, igual ao primeiro que eu tinha pedido (que o cara e a senhora me venderam errados, por preguiça). Puto da vida, mas aliviado, voltei pra casa. Montei tudo, agora sem grandes dificuldades. Mas quando apertei de novo o interruptor, zero sinal de vida.

Bufei. Mas não desisti.

Comecei a refazer todas as ligações, uma por uma. Uma ponta azul, outra vermelha, duas pontas vermelhas, duas azuis, dois fios em cada lado, só um fio, testa na tomada… nada. De novo. Uma ponta azul, outra vermelha, duas pontas vermelhas, duas azuis, dois fios em cada lado, só um fio, testa na tomada… nada.

Até que, de repente, notei que tinha uma falha na pintura de uma das lâmpadas que mostrava, na parte interna, que ela estava queimada.

Sim, desde o começo, comprei uma lâmpada queimada.

É foda ser burro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *